Preocupao

Temo que o desastre aéreo do avião da Gol seja usado na batalha do segundo turno por Alckmin para atacar Lula. Leia abaixo que explico.

Assim como aconteceu com os ataques do PCC em maio e julho e com o escândalo das Sanguessugas em agosto e setembro, mais um acontecimento este ano pode entrar no jugo político das eleições: o desastre aéreo do avião da Gol, sexta-feira última, em que morreram 155 pessoas. Temo que esse desastre aéreo seja utilizado na batalha do segundo turno por Geraldo Alckmin para atacar o governo Lula. Eu explico.Tá mais que provado que a principal causa do acidente é que houve falha humana neste desastre. E a falha veio do avião Legacy. O piloto desligou o transponder, que é um sinal transmitido pelo avião que informa a torre de comando e a aviões próximos dados sobre o avião como rota, altitude e velocidade. E é com base nas informações do transponder que funciona o sistema anti-colisão, que alerta tanto o avião em que possui o sistema instalado, quanto a aviões próximos a existencia de alguma aeronave que possa colidir com ela. E para piorar ainda mais a situação, o Legacy estava na altitude errada e tragicamente, a mesma do avião da Gol. Mas o que tem a ver o governo Lula com esta história? Vamos aos fatos.A torre de comando tentou alertar o Legacy que ele estava em rota de colisão com o avião da Gol por cinco vezes, mas sem sucesso. Como o local do acidente aconteceu em uma área chamada de “triângulo das bermudas” pelos próprios pilotos, por estar em uma área limítrofe entre duas torres de controle (a Cindacta de Brasília e a de Manaus) e que naquela região há falhas de localização por radar e de comunicação por rádio, é provável que se houvesse a comunicação plena entre a torre e o Legacy, este desastre poderia ter sido evitado. Aí está o ponto principal da polêmica. Se ouve falha de comunicação entre o Legacy e o Cindacta é que está havendo um grave erro de infra-estrutura do controle de tráfego do espaço aéreo brasileiro, que é de responsabilidade do governo federal. Com a comoção causada pela tragédia, um possível uso deste episódio com fundamento político poderia alterar, irreversivelmente, devido ao curto tempo de campanha, o panorama da eleição a favor do candidato Geraldo Alckmin. As falhas de infra-estrutura denunciariam a falta de investimentos no setor aéreo por parte do governo federal e culpariam-no pelo acidente e é lançada a idéia de que se o governo federal tivesse investido eficientemente no setor aéreo, certamente esse acidente poderia ter sido evitado.É preocupante esse fato e estou perplexo pela conclusão de meu raciocínio. Mas ainda é cedo para lançar algum prognóstico.