Preocupao

Temo que o desastre aéreo do avião da Gol seja usado na batalha do segundo turno por Alckmin para atacar Lula. Leia abaixo que explico.

Assim como aconteceu com os ataques do PCC em maio e julho e com o escândalo das Sanguessugas em agosto e setembro, mais um acontecimento este ano pode entrar no jugo político das eleições: o desastre aéreo do avião da Gol, sexta-feira última, em que morreram 155 pessoas. Temo que esse desastre aéreo seja utilizado na batalha do segundo turno por Geraldo Alckmin para atacar o governo Lula. Eu explico.Tá mais que provado que a principal causa do acidente é que houve falha humana neste desastre. E a falha veio do avião Legacy. O piloto desligou o transponder, que é um sinal transmitido pelo avião que informa a torre de comando e a aviões próximos dados sobre o avião como rota, altitude e velocidade. E é com base nas informações do transponder que funciona o sistema anti-colisão, que alerta tanto o avião em que possui o sistema instalado, quanto a aviões próximos a existencia de alguma aeronave que possa colidir com ela. E para piorar ainda mais a situação, o Legacy estava na altitude errada e tragicamente, a mesma do avião da Gol. Mas o que tem a ver o governo Lula com esta história? Vamos aos fatos.A torre de comando tentou alertar o Legacy que ele estava em rota de colisão com o avião da Gol por cinco vezes, mas sem sucesso. Como o local do acidente aconteceu em uma área chamada de “triângulo das bermudas” pelos próprios pilotos, por estar em uma área limítrofe entre duas torres de controle (a Cindacta de Brasília e a de Manaus) e que naquela região há falhas de localização por radar e de comunicação por rádio, é provável que se houvesse a comunicação plena entre a torre e o Legacy, este desastre poderia ter sido evitado. Aí está o ponto principal da polêmica. Se ouve falha de comunicação entre o Legacy e o Cindacta é que está havendo um grave erro de infra-estrutura do controle de tráfego do espaço aéreo brasileiro, que é de responsabilidade do governo federal. Com a comoção causada pela tragédia, um possível uso deste episódio com fundamento político poderia alterar, irreversivelmente, devido ao curto tempo de campanha, o panorama da eleição a favor do candidato Geraldo Alckmin. As falhas de infra-estrutura denunciariam a falta de investimentos no setor aéreo por parte do governo federal e culpariam-no pelo acidente e é lançada a idéia de que se o governo federal tivesse investido eficientemente no setor aéreo, certamente esse acidente poderia ter sido evitado.É preocupante esse fato e estou perplexo pela conclusão de meu raciocínio. Mas ainda é cedo para lançar algum prognóstico.

Para Tudo!

Muita gente votou no clô porque não tinha em quem votar. Muita gente votou no clô pra zoar. E nessas brincadeiras todas ele acabou eleito. Estou indignado com os eleitores de São Paulo. Levaram o Alckmin para o segundo turno, elegeram o Serra governador (mesmo com a incompetência de 12 anos de governo tucano em São Paulo frente ao PCC, saqueando a Nossa Caixa e sucateando a educação no estado), elegeram para federal, Maluf, Clodovil, João Paulo Cunha, Frank Aguiar, Vadão Gomes, Palocci e Genuino, e ainda querem um Brasil decente? Vão arder no mármore do inferno! Cada povo tem o político que merece!SOU PAULISTA E TENHO VERGONHA DOS ELEITORES IMBECIS DE SÃO PAULO!

O (maldito) Individualismo Do Brasileiro

Fala-se muito mal do presidente Lula e o atribui toda a culpa de todos os escândalos de corrupção e o chjamam de incompetente, pois deixou de fazer muita coisa e não cumpriu promessas. Mas será que é mesmo? Será que ele é mesmo o culpado de tudo isso? E se sair o Lula e entrar o Alckmin vai ser a mesma coisa? Fico preocupado, pois está tornando o Lula bode expiatório de todos os problemas nacionais. Entendo perfeitamente a insatisfação popular frente as denúncias de corrupção, mas vejo que o Lula não é o único culpado.O fato principal de tudo isso é que foi erroneamente passado ao povo uma cultura do individualismo, de que é o um que resolve. No futebol, quando um time vai mal, a culpa é do técnico. Quando uma empresa vai mal, a culpa é do dono. Quando um setor vai mal, a culpa é do chefe. Quando o país não vai bem, a culpa é do presidente. Tá errado! Pois no país o congresso pode ser o culpado. Num setor alguns subordinados do chefe podem ser os culpados. Numa empresa, alguns setores ou funcionários podem ser os culpados. Em um time, alguns jogadores é que podem ser os culpados! No Brasil sempre se procura ignorantemente um bode expiatório para os problemas, mas a culpa pode estar em outro lugar. Vamos acordar, arregaçar as mangas e ir pra cima, pois não é cada um por si e Deus por todos, e sim um por todos e todos por um! Aí vocês vão entender o exagero que fazem nas críticas ao presidente.Por isso me revolta esse monte de gente metendo o pau no Lula. Pois estes pensam que governar o Brasil é muito fácil, mas na verdade, não é.

Nota De Exclarecimento Aos Anti-petistas

A todos os que chamam o PT de corruPTos e imcomPeTentes…Eu volto a explicar a todos que falam que o PT é uma quadrilha. Há uma camarilha que tomou de assalto o partido e quer tomar de assalto o país a qualquer custo. E é por causa destes é que nós, militantes honestos do Partido dos Trabalhadores, pagamos o pato. Até o Lula esta sendo usado nisso. Todos sabem que ele não sabe governar como os políticos tradicionais, apenas é um líder e com sua história e carisma está sendo usado como bode expiatório dessa camarilha, ao qual chamamos de BLOCO MAJORITÁRIO DO PT. Existe muita gente decente no PT, do qual eu faço parte e assim como você exige mudanças. Mas não quero que o partido acabe como boa parte da raça ignorante desse país manobrada pelos almofadinhas do PFL/PSDB, pois a eles é interessante acabar com todas as forças antagônicas a eles para ter o pleno poder sobre o país. Quero que o PT faça uma limpeza ética e volte ao caminho que trilhava antigamente, a de um partido decente, de uma opção para o Brasil mudar para melhor. Mas assim como você, há muita gente dentro do próprio partido que está se iludindo com essa camarilha, tentando defender o indefensável, sob a famigerada tese de que, ao admitir o erro, o partido caia em desgraça, sendo essa, a tática dessa camarilha para intimidar boa parte da militância em não reagir a essa situação. Eu não compartilho dessa opinião e não me iludo. Sou realista. Precisamos mudar. Mas precisamos mostrar a realidade para que as pessoas saibam que a sigla do partido e boa parte de sua militância não são culpados, e sim vítimas de um golpe. Está acontecendo com o PT o mesmo que aconteceu com a Iugoslávia. A Iugoslávia era formada por grupos étnicos bastante heterogêneos e antagônicos. Quando um deles entrou no poder, deu o golpe e praticamente dividiu e esfacelou a república iugoslava. E a mesma coisa acontece com o PT.

Eleies (2)

O embate entre Lula e Alckmin promete. Lula prometeu ir aos debates. Alckmin demonstrou em suas entrevistas à imprensa, que vai manter o discurso duro contra Lula. Até o fim do mês muita coisa vai rolar e entendo que a situação está indefinida, visto que Lula saiu enfraquecido e Alckmin fortalecido das urnas.

Sem Titulo 3/10/2006-4:14

“Eu não sei!”

Autor: Clodovil Hernandez

Quando: 02/10/2006

Ao ser perguntado pelo reporter qual a proposta que levará ao congresso nacional ao assumir o cargo de deputado federal pelo PTC, por São Paulo, com quase meio milhão de votos.

Eleies 2006 (1)

Realmente fiquei decepcionado com o resultado das urnas. Alguns sanguessugas e mensaleiros não conseguiram se reeleger, mas outros figurões de escândalos, sim. As pessoas ainda não perceberam que Maluf e Collor estão concorrendo em busca da imunidade parlamentar???? E os patos dos eleitores que votaram neles caíram no conto do vigário.É realmente lamentável. Mas fazer o que? Cada povo tem o político que merece…

Sem Titulo 3/10/2006-1:26

UOL Eleições – Reportagens EspeciaisQuem são os exóticos deputados eleitos nessa eleição.

Sem Titulo 2/10/2006-12:57

Maldito Banco do Brasil. O atendimento do banco e igual à de um hospital público.

17:00 – Tempo esgotado! Acabou a eleição.Ufa! Que dia! Ser fiscal de partido não é fácil. Também pudera, muita caminhada, conversa e paciência. Mais de 10 horas de maratona política e para enfrentá-la, é preciso muito bom-humor, compreensão e simpatia.Comigo não foi diferente. Cumprimentava os funcionários, mesários e também os colegas fiscais, inclusive os de outros partidos. Falavamos dos mais diversos assunstos, desde a queda do avião da gol até o movimento da votação. E é claro, o assunto principal das conversas era sobre política. Falavamos sobre muita coisa, desde a possibilidade de segundo turno para presidente, ao desempenho pífio do Quercia. Ouvia muitas queixas de eleitores pela demora nas filas. Aliás, as filas eram tão grandes que havia uma fila para entrar em outra em algumas seções eleitorais. Mas o balanço final foi muito positivo. Tudo tranquilo, nenhum incidente, quase nada de boca de urna. Um dia eleitoral quase perfeito. Quase porque uma urna eletrônica deu pane e teve de ser substituida e nisso houve atraso de quase 2 horas. Uma enorme fila se extendeu naquela seção e para ajudar, eu explicava a situação para as pessoas na fila e tranquilizava os eleitores, mas a situação se normalizou poucas horas depois.Para quem não sabe, o fiscal de partido é uma figura importante no processo eleitoral. A ele corresponde verificar e denunciar falhas no processo eleitoral que podem favorecer um ou outro candidato. E a minha avaliação pessoal é positiva quanto ao meu trabalho, pois acredito que desempenhei bem a minha função.Cheguei na escola por volta de 06:40 da manhã. Outros fiscais do meu partido já estavam presentes, mas a coordenadora da Zona Eleitoral não havia chegado. Isto foi ficando preocupante quando a maioria dos mesários já estavam na escola fazendo os últimos preparativos para dar início a votação. Finalmente às sete horas, a coordenadora chegou. Distribuiu as pastas, camisetas e crachás e conferiu os presentes. Tinha gente faltando. Entretanto, me indicaram uma seção eleitoral para que eu tomasse conta. No meu partido é assim. Cada fiscal cuida de uma seção. Mas tem partidos menores que um fiscal cuida de uma, duas ou até de todas as seções de uma mesma escola. Trabalho duro. Mas quando cheguei já deixaram tudo pronto. Mesmo assim cumprimentei os mesários, inclusive um amigo meu que estava trabalhando lá, e assinei a Zerézima. Zerézima é um boletim de urna que é feito quando esta é aberta para votação que mostra que não existe nenhuma fraude e que todos os candidatos estão constando na urna e sem nenhum voto. É lógico que assinei a zerézima após conferir a lista inteira. E depois disso foi aberta a votação, pontualmente às 08 da manhã. Durante as nove horas de votação, fiz um lanche e até uma pausa para o almoço. Aproveitei para fazer uma planilha para passar os votos do candidato a deputado defendido pelo nosso grupo, para facilitar o meu trabalho. E realmente ajudou. Quase 5 da tarde. A escola estava quase vazia mas não aredamos o pé. Assinei a ata da sessão em que estava cuidando, e os mesários começaram os procedimentos para encerrar a votação. Fecharam a urna e os boletins de urna são impressos em cinco vias. E eu assinei todas as vias. Pedi uma das cópias do boletim para preencher a ficha fornecida pelo partido. Por mais que pareça desnecessário, sempre é feita, com base nos boletins de urna, uma apuração paralela da eleição. E não foi só isso. Peguei todos os resultados de todas as urnas do deputado federal. Passei a ficha da minha seção para a coordenadora e passei a quantidade para o comitê por telefone. Missão cumprida! Hora de ir pra casa.