Os Grandes De Sp Não São Mais Os Mesmos?

Olhei para a tabela de classificação do Paulistão-08 hoje, e tomei um susto: se a primeira fase do campeonato terminasse hoje, nenhum grande clube do estado estaria nas semifinais. O São Paulo é o quinto, o Corinthians é décimo, e Palmeiras e Santos, rigorosamente iguais, dividem a décima-quinta posição. Por incrível que possa parecer, a zona de classificação do paulista virou uma “festa do interior” com Guaratinguetá, Ponte Preta, Noroeste e Ituano. Deve haver uma explicação para a atuação destacada dos ‘pequenos’ e a atuação discreta dos ‘grandes’. A começar pelo curto espaço de tempo para os grandes de sp tiveram para preparar suas equipes, algumas delas totalmente reformuladas, caso do Corinthians, e com mudanças na comissão técnica, casos de Corinthians, Santos e Palmeiras, com a chegada de Mano Menezes, Émerson Leão e Wanderley Luxemburgo, respectivamente. Isso contrasta com os times já prontos e entrosados do interior, que tiveram um tempo de preparação maior e possuem equipes inalteradas há mais tempo, e portanto, melhor entrosadas. Some isso a um campeonato em ritmo frenético e curto em que é preciso ter uma boa arrancada para seguir adiante. E para isso é preciso ter lenha para queimar, e isso os ‘grandes’, exceto o São Paulo, até então o único invícto neste certame, não tem, enquanto os ‘pequenos’ tem de sobra. Sem contar que o campeonato paulista é uma vitrine do futebol brasileiro, e uma oportunidade de renda para os clubes de menor expressão no estado, pelo público que os grandes clubes atraem, e pelo interesse que esses clubes podem ter por seus atletas destacados. Por isso os pequenas jogam tudo neste campeonato e pelo visto, estão se saindo bem, não se sabe até quando.

Eleições Americanas: A Certeza Da Indecisão

Enquanto os republicanos tem candidato quase certo para a sucessão presidencial americana, os democratas travam uma verdadeira guerra, voto a voto, para escolher o seu candidato. Barack Obama e Hillary Clinton disputam a preferência dos republicanos nas eleições primárias dos EUA. Essa contenda está provocando um racha na militância republicana e isto pode até custar a eleição, que com o desastre que se tornou o governo de George W. Bush, garante grandes chances de os democratas sairem-se vencedores. O grande detalhe desse pleito será o ineditismo. Não importando quem vencerá as prévias, em caso de vitória democrata, pela primeira vez os EUA serão governados por uma mulher ou por um negro.

Muito Além Do Cidadão Kane: 15 Anos Depois.

Passados quinze anos do documentário do channel 4 da Inglaterra, suas revelações ainda repercutem no Brasil, mas a situação hoje é diferente. O país apresentou uma sensível melhoria social, econômica e estrural, e o domínio da Rede Globo já não é tão grande assim. A concorrência está maior e o domínio da Globo não é mais monopolizante. Mas a Globo ainda exerce influência. O caso mais recente é o da escolha do padrão de TV Digital a ser adotado no país. Em disputa haviam três padrões: o americano, o europeu e o japonês, este último o padrão escolhido. O padrão americano não se portou viável, pois não permitia portabilidade, ou seja, não era possível a recepção em celulares e aparelhos portáteis. O padrão europeu era defendido pelas teles. Isso porque para se tornar portátil, a TV Digital dependia da rede celular, e isso poderia gerar um valor agregado, o qual as emissoras de TV poderiam ficar de fora. Mas o motivo para o padrão europeu ter sido preterido foi outro. Esse padrão dá ênfase a multiprogramação, ou seja, a haver, num mesmo canal, até 4 programas transmitidos simultaneamente, o que aumentaria e muito a capacidade de transmissão, e com efeito, aumentaria a oferta de programas e a concorrência, já que os custos para a TV se resumem a transmissão e concessão que além de serem caros, são também burocráticos, o que faria com que centenas de produtoras independentes apenas paguem para emissoras dispostas a ceder espaço para elas, o que reduziria a divisão do bolo publicitário, principal fonte de receitas das emissoras de TV. O modelo japonês foi escolhido por ter todos os requisitos pretendidos pelo Ministério das Comunicações, além de dois fatores, de lobby, que fizeram a diferença: o apoio da indústria eletrônica japonesa, sobretudo a Sony, ao qual mantém um contrato de parceria com a Rede Globo que inclusive lhe rendeu a produção por parte da Sony de um produto exclusivo para a emissora, e o fato de que o atual ministro, Hélio Costa foi um dos repórteres da Rede Globo, nas décadas de 70 e 80. Tudo isso pesou a favor da escolha da TV Digital brasileira. Tanto é, que menos de três meses depois da escolha do padrão, os primeiros testes e as primeiras transmissões já estavam sendo feitas pela Rede Globo em São Paulo.

Sai O Rei, Mas O Reino Continua

Bill Gates anunciou a sua aposentadoria da presidência da Microsoft. Entretanto, dois projetosde vanguarda prometem garantir à Microsoft pelo menos a manutenção do status de empresa mais importante de TI do mundo: o Windows 7 com previsão para 2009 ou 2011, e o Surface que é um computador com tela sensível a multitoques, sem teclado ou conectores, com todas as conexões com outros aparelhos sendo feitas sem a necessidade de cabos via wi-fi ou bluetooth.Isso sem contar com o Silverlight, que é uma tecnologia para a web para concorrer com o Flash, agora da Adobe.