(-254) Um dia de expectativas

A expectativa é grande hoje. Sai o resultado do concurso público e estou no aguardo de uma resposta a uma proposta de emprego. É uma possibilidade enorme de uma possível reviravolta em meus planos, zerando todas as dívidas e retornando à faculdade. Agora é esperar e torcer.

>Como nossos pais

>

Ontem eu conheci no futebol alguns rapazes e pude perceber uma triste realidade de muitos jovens que estão vivendo nas periferias do Brasil. Conheci um rapaz de 17 anos que havia parado de estudar no sexto ano do ensino fundamental e ainda pretendia não fazer o alistamento militar. Não apenas eu como dois outros rapazes, um cozinheiro de 20 e um vendedor de 23 o aconselhavam a mudar de atitude e correr atrás de uma vida mais digna.

Todos nós que estávamos envolvidos na conversa relataram envolvimento com vícios. Eu era fumante por 4 anos e parei há 3 meses. O vendedor contou que tinha perdido a mãe aos oito anos e já havia consumido maconha e cocaína na época da escola, e o cozinheiro contou que já era viciado em drogas e por pouco não havia arruinado sua vida. A verdade é que eles há muito tempo estão sóbrios, e abandonaram o vício há muito tempo, por causa da família. E eu havia parado por causa da minha saúde.

O nosso conselho ao jovem de 17 era o mesmo que havíamos recebido de nossos pais: não jogue a vida fora com uma vida marginal, estude e procure ser alguém na vida. E o vendedor foi além: é preciso dar condições a nossos filhos poderem ter uma vida melhor que tivemos. E é isso que todos os pais esperam de nós: uma vida melhor que a que tiveram. Alguns jovens não tem a sorte de terem pais que se compromentem em formá-los para serem pessoas batalhadoras, simplesmente por não possuírem formação moral e de vivência para conduzir a criação e educação de um filho, problema freqüente nas regiões periféricas, onde pessoas muito jovens, ainda adolescentes, tem filhos.

A cultura em que nos foi imposta, boa parte dos Estados Unidos, insiste que os nossos jovens precisam amadurecer rapidamente. E isso é um erro gravíssimo. Acelerar o relógio do tempo é algo que beira a falta de inteligência, visto às graves conseqüências que isto pode ocasionar, sobretudo àqueles que não estão preparados a isto. É preciso aos poucos assumir nossas responsabilidades, mas mantendo a essência jovem, para não amadurecermos precocemente e jogarmos fora o melhor momento de nossas vidas: a juventude.

Vejo muito, onde vivemos, que nossos jovens passam a tomar como exemplo aqueles que tem mais posses, e boa parte deles são criminosos, cujas posses são de forma transitória, já que tudo o que possuem não são legitimamente deles. Ao tomar como exemplo, muitos jovens caem na criminalidade, com a promessa de viverem uma "vida fácil", por conta do modo difícil de vida que levam e por acreditar erroneamente que não há possibilidade de escape desse modo de vida. Durante a nossa conversa lembramos que aos criminosos não existe vida fácil e que a eles só existem dois destinos: cadeia e caixão.

É hora de colocar na cabeça do jovem que é possível investir em uma vida longe da marginalidade e é possível nos tornarmos vencedores mesmo nascendo em berços humildes.

>É hora de despertar

>

Observo a cada dia, mais e mais jovens se afundando no universo obscuro das drogas. A muitos que conheço não canso de aconselhar. Muitos acham que este é um esforço inútil, visto que não possuem o interesse de mudar esse paradigma, mas temos que continuar essa luta ferrenha contra a destruição do futuro.

Nossa sociedade está se tornando auto-destrutiva. Há uma inversão de valores. Os valores financeiros e físicos estão se sobrepondo aos valores de caráter e de personalidade. Os padrões se impõem às diversidades, marginalizando as pessoas de personalidade forte. Se você não está na onda, você não é nada.

Isso me preocupa. Nas regiões periféricas, as pessoas jovens são instuídas a agir com rebeldia, mas uma rebeldia selvagem, criminosa, a ponto de achar que é bom ser mal.

É hora de despertar. De mostrar a esses jovens sem orientação pelo menos um exemplo de que é preciso remar contra essa maré de insanidade que contagia as pessoas. É preciso fazê-los entender que com esforço e dedicação, é possível transformar para melhor o lugar onde vivem, acabar com a criminalidade e se renovarem.

Educação, incentivo, conscientização e força de vontade são fundamentais para transformar essa situação. Basta instigar-lhes as idéias certas para que, como uma reação em cadeia, as vidas se transformem e a sociedade melhore como um todo. O esforço deve ser coletivo e todas das áreas devem estar envolvidas.

É hora de despertar, despertar para um futuro viável, antes que seja tarde.

O Medo Venceu A Esperança

O Sport venceu a Copa do Brasil. O medo foi vitorioso, dado o triunfo de uma equipe que mesmo vencendo com méritos o torneio, utilizou-se de todos os artifícios extra campo para aniquilar seus adversários. O Palmeiras foi envenenado e amedrontado com o aval da polícia, o Inter também sofreu, e o Corinthians foi privado de sua torcida, salvo por intervenção estadual, pois se não o fosse, não haveria nenhum corintiano para chorar as lágrimas da derrota.Foi uma vitória do medo. Impediram sua torcida de gritar no campo adversário por saber que ela tem força, que ela já invadiu o Maracanã em 1976 no maior deslocamento humano para um evento esportivo da história. Que certamente evitaria um jogo de uma torcida apenas, amedrontando seu adversário pelo choque e terror. Choque e terror que derrubaram as torres gêmeas, choque e terror que culminaram em uma guerra insana e cruel no Iraque. Choque e terror dos neonazistas que agridem os co-irmãos nordestinos por motivos torpes e vãos. O mesmo medo da inflação, da crise, da intolerância, do ódio, da corrupção, da insensatez.Foi uma vitória do medo. Do escárnio de torcedores rivais que não paravam de rir. Pobres tolos! Não sabem que a tragédia de um rival não significa o triunfo, mas um sintoma da ruína.A esperança foi derrotada. Carlinhos Bala dizia que era abençoado por Deus ao vencer a tal ponto que todos levariam a crer que o Corinthians era um bando de Hereges. Nelsinho Batista dizia com tamanha altivez que esquecera que estava lado a lado com os mesmos que havia derrotado, meses antes, em sua maior tragédia: o rebaixamento.A esperança foi derrotada. Uma esperança que fazia sentido tudo o que acreditávamos ser possível. De que era possível dar a volta por cima, de que era possível superar limites, de que era possível enfrentar adversidades, de que era possível, com força, garra e união romper com conceitos que nos derrotam, e impor conceitos que nos valorizam.A esperança foi derrotada. Cerca de 30 milhões de sorrisos deixaram de sorrir e lágrimas caíram de seus rostos espirituais. E em todos os jornais imperava a hipocrisia de dar os méritos ao vencedor e destacar as falhas do vencido, como se nada antes tivesse valido.Valeu demais. Obrigado Corinthians por ter mostrado a essa massa apaixonada a esperança. Mas infelizmente o medo saiu triunfante, o medo de muitos, o medo da esperança. Não venho aqui dizer que o Sport não merecia vencer. Foi perfeito na final. Mas a história poderia ter um final bem mais feliz, com a vitória da esperança. A esperança de Davi contra Golias, a esperança de Senna nas pistas, a esperança de Ronaldo na Copa de 2002, a esperança de Guga nas quadras de tênis. Uma esperança que poderia mostrar a nós mesmos o valor de sermos esperançosos.Obrigado Corinthians, mesmo derrotados foram vencedores. Sabíamos que era difícil, mas mostramos que somos guerreiros, mostramos e resgatamos nosso valor e dignidade. O valor e dignidade de gente simples e honesta, trabalhadora e apaixonada, que faz as coisas com dedicação e apreço não para mostrar que são melhores, mas para provar que são capazes.Sempre estarei contigo, Corinthians: o time da esperança.

Tv Digital: Audiência Não Saiu Do Traço Ainda

Seis meses após o lançamento da TV Digital no país, a audiência ainda não saiu do traço no ibope, em SP. Para cada ponto no ibope, são necessários cerca de 50 mil domicílios, e o número deles com a nova tecnologia não passam de 25 mil, nem a metade de um ponto no ibope (Fonte: Folha Online). Existem diversas causas apontadas para o até então fracasso da TV Digital no país: preço dos aparelhos conversores, poucos programas transmitidos em alta definição, qualidade do sinal ruim em diversos lugares, falta de interatividade, entre outras razões. Diante disso, o governo até cogitoua prorrogaçãodo prazo final para o fim das transmissões analógicas que é em 2016. Mas acredito que ainda é cedo para se pensar em prazo, visto que o prazo ainda é muito distante e acredito eu que o cronograma e a demanda estão sob controle. O grande filão serão os dispositivos móveis (chamados de 1Seg – lê-se OneSeg) como celulares e TV’s Portáteis que recebem o sinal digital, que poderão até impor, nos próximos anos um novo padrão de audiência, com novo horário nobre. Para resolver o problema da TV Digital no país é preciso antes de tudo reduzir o preço dos aparelhos (um equipamento básico com TV e Conversor de boa qualidade não saem por menos de R$ 3.000,00), melhorar a qualidade do sinal, prover melhorias tecnológicas e incentivos para as emissoras transmitirem em HDTV, concluir a implantação da interatividade com o middleware ginga, tanto por parte dos fabricantes que devem incluí-los em seus aparelhos como por parte das emissoras para desenvolverem conteúdos interativos para a TV, e divulgar a TV Digital. De todas essas medidas somente a última será implementada: uma nova campanha de divuldação da TV Digital vem aí.O alto custo de produção de aparelhos de tecnologia se dá por dois motivos: distância dos centros produtores para os principais centros consumidores (e a falta de infra-estrutura delogística de baixo-custopara transportá-los)e a ausência de uma fábrica de semicondutores no país.A queda do preço dos conversores é questão crucial para que a TV Digital decole, gerando um efeito cascata: aumenta o interesse e a compra de aparelhos, aumenta a audiência digital, aumenta o interesse das emissoras em melhorar o sinal, a qualidade do conteúdo a acrescentar diferenciais aos programas com o uso da interatividade.Para quem quer saborear a TV digital e tem computador, recomendo o uso dos 1Seg, que custam entre R$ 270,00 e R$ 400,00, e com R$ 1.300,00 é possível sair do Wal Mart assistindo TV Digital, comprando um notebook MOBO, da Positivo (R$ 1.000,00) e um 1Seg da Leadership (R$ 299,00).