(-210) O primeiro dia de trabalho

Ontem foi meu primeiro dia de professor. A princípio, tudo para mim tem cheiro de novidade. É uma coisa assistir uma aula e outra é ministrar. Mas ao observar os alunos nas aulas, aos poucos vai desaparecendo o medo dos alunos e certamente o dom de ministrar aulas surgirá naturalmente.
Hoje estou vestido a carater para o segundo dia de trabalho: roupa social e gravata. Novos tempos requerem novos hábitos.

(-212) O primeiro dia de aula que faltou há um ano atrás

Finalmente o primeiro dia de aula na faculdade. O dia que não tive no ano anterior. Isto pois havia começado as aulas dias depois e nem havia entendido o motivo de os calouros começarem as aulas um dia antes dos demais, mas o motivo descobri hoje, era para apresentar a faculdade aos novatos. Descobri que a estrutura da faculdade já não comporta mais a demanda de alunos. Parte do estacionamento virou laboratório de informática. E parte dos alunos agora estão tendo aulas em um colégio próximo ao metrô Saúde. É efeito colateral da grande quantidade de pessoas que ingressam em um curso superior.

(-214) O que esperar do futuro?

Com quase todas as metas próximas de serem atingidas antes de faltar 100 dias para a data-final (12/03/2009, meu 10000° dia de vida) vão me questionar se a missão foi cumprida.
A resposta é óbvia: claro que não. Além de atingir as metas restantes, é preciso manter os resultados positivos já alcançados, o que é muito mais difícil. Vou citar as minhas marcas para exemplificar. Parei de fumar há mais de 4 meses, mas sempre que vejo alguém fumando, sinto uma compulsão ao qual tenho que resistir. Em relação às dívidas, além de abater as que me restam, preciso controlar os gastos para não mais me tornar inadimplente. E para melhorar minha forma física, preciso controlar a alimentação e, principalmente, aumentar a carga de exercícios.

(- 215) A hora da verdade

Sexta-feira, 8/8/08: o dia da grande virada. Precisamente às 13:27 e enfrentando muito trânsito, o ônibus parte de Diadema rumo a São Caetano levando consigo além de mim, as esperanças de uma carreira altamente promissora. Apesar da importância do desafio, estou tranqüilo, confiante e preparado. Afinal uma experiência vivida na prática é extremamente marcante. Apenas estou ansioso pelo teste, pois é uma experiência nova e que se bem-sucedida pode transformar minha carreira completamente. Em casa, sozinho, ensaiava uma explanação e as palavras fluíam naturalmente, juntamente com as idéias, mas uma coisa é explanar sozinho e outra é falar em público. Mas a experiência teatral reduziu significativamente esse medo de falar em público, inclusive apresentando um projeto na faculdade para um público de 200 pessoas e apresentando no teatro para públicos bem maiores. Ensinar para uma sala de uns 20, 30 alunos parece fácil.
Agora são 15:17 e estou na recepção da Microcamp de São Caetano, aguardando ser chamado novamente. Por hora nada de demonstração. Mas pela entrevista que tive há pouco, as perspectivas são as melhores possíveis. Rojões estão prestes a ser soltos.
São 17:23 e estou voltando para casa. Meus prognósticos estavam certos. Estou novamente empregado e nem precisei de uma parcela sequer do seguro-desespero! Fiquei apenas 24 dias desempregado, uma espécie de férias. Mais uma etapa cumprida do planejamento.

Poeminha do contra

Todos estes que aí estão
Atravancando meu caminho
Eles passarão
Eu passarinho

(Mário Quintana)

(-216) Prestes a uma reviravolta

Os planos estão prestes a mudar. Mas ao contrário do que se costuma temer, não é uma notícia ruim, pelo contrário. Se a boa impressão se confirmar, estarei anunciando um novo ofício até o final desta semana. Mas tenho que provar minha competência e vencer outros candidatos para abocanhar essa oportunidade. Mas estou confiante. Tenho a certeza de que irei impressionar os examinadores.
Se tudo der certo, terei que fazer a faculdade de manhã, o que parece não ser muito desejavel, mas será algo espetacular. Tanto que posso garantir a vocês que, correndo tudo bem, será o maior triunfo do ano. Durante essa viagem até São Caetano, estive pensativo. Rezei em pensamento e mentalizei coisas boas para me motivar e animar. Já estava atrasado, mas tinha avisado que chegaria mais tarde. De fato é um problema depender de transporte público. Mas como sempre digo: muita calma nessa hora! Vou me distraindo, escrevendo isto no meu palm.
A viagem está um pouco demorada. Já são 13:19 e ainda estamos em São Bernardo do Campo, e a cerca de 10 minutos atrás ainda estávamos em Diadema. Finalmente às 13:26 as placas começam a indicar São Caetano, uma bonita, pequena e próspera cidade do ABC paulista, mas ainda parece longe.
Finalmente cheguei por volta de 13:45 no local da entrevista. Tive uma boa impressão do que poderá vir a ser meu futuro emprego e a entrevistadora me pareceu ter uma impressão melhor ainda de mim como futuro empregado. As esperanças e chances aumentaram significativamente, a contratação é quase certa, se amanhã mostrar aos entrevistadores que sei ministrar aulas.